segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ele destrui tudo aquilo que criou, disse o que queria e nem se importou.

Agarraste-te em momentos e momentos apagaste. Pensas que me decoraste? Foste tu quem perdeu. Tantas palavras minhas, não imaginas a força que eu tenho por detrás desse meu jeito de menina! Eu sou a força que tu nunca tiveste, eu sou aquilo que tu um dia perdeste! Eu sou o sentimento que tu nunca conheceste, eu sou a luta à qual tu nunca te submeteste. Eu sou a garra que agarra qualquer disputa. Eu sou a mulher que agora não te escuta. Eu não sou mais uma, eu nasci para ser aquela! Eu sou a diferença das tuas amigas que não passam de ... Eu sou aquilo que é demais para os teus braços manterem, e estou alta demais para os teus olhos verem. Por isso antes de pensares que tu me viraste as costas e me magoaste, ou que eu sofro pelo que o destino traçou. Quero só dizer que tu saíste da minha vida, tal como entraste, e que não me afectam as palavras que falaste... Porque eu sou muito mais, do que alguma vez sonhaste. TENHO DITO.

3 comentários:

  1. está lindo. e sei bem que tudo aquilo que aqui dizes, descreve na perfeição o que passaste,
    és grande, miuda.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.